skate arte, arte e vida


Era uma vez uma mulher incrível que pintava shapes. Shapes coloridos, assim como sua visão de mundo. Essa mulher não ligava pras coisas fúteis, mesquinhas e moralismos. Ao contrário, visava o essencial, sempre. Conhecia as pessoas melhor que elas próprias, tamanha inteligência, tamanha sensibilidade. Quantas ela ajudou? Incalculável! Enxergava sempre além: aquela criança com histórico de vida fodido, com problemas de aprendizagem e de comportamento, o horror dos professores, o horror de suas próprias mães..que não tavam nem ae, pra falar a verdade, bom, mas o fato é que teve uma mulher que acreditava nelas! E que as dava suporte pra viver melhor, e elas? Quando viam ela chegando era uma cena surreal, ela envolta de crianças. Um poema feito por uma criança diz tudo: Um bom professor ensina, um bom aluno aprende, mas quando o assunto é você, só você me entende. E aquela vez em que a sociedade da cidade quis tirar das suas vistas um senhor cuja doença era uma bola na garganta por causa da ingestão de iodo e que por isso tinha leves problemas mentais?! A sociedade burguesa quis “limpar” a cidade das aberrações que por ali circulavam, como os andarilhos, manda-los pra um lugar sem liberdade, num hospício. Naquele momento existiu alguém que pensava além. È, a mulher dos shapes fez um discurso tão inteligente que emocionou todo um tribunal, mais uma vez vitória para a humanidade. Posso me lembrar de inúmeros casos como este, que não caberiam em cinco blogs. Eu só tenho a agradecer o privilégio de ter convivido 22 anos da minha vida ao lado de alguém tão especial, tão mágica. “Não me importa, você pode ser o que quiser, dizer o que quiser, pensar da forma que quiser, só não se esqueça das conseqüências”. Nasci da liberdade, da poesia, da sensibilidade e da luta e nos meus braços ela se foi... Adeus, mãe.

2 comentários:

Divas Skateras disse...

Me emocionei, Herma! ♥

Isabela Lima disse...

amiga impossível conter as lágrimas qdo li.....me emocionei tbm ....S2....